terça-feira, 20 de março de 2012

Justificativas de FANTASIA - Grupo Acesso

UNIDOS DO GUAJUVIRAS (9.7 / 9.9)
Heloísa Romero: Ala “Trevo da Sorte” com casacos abertos, aparecendo camisetas de diversos tipos e cores.  Sapatos variados, interferindo na composição homogênea da fantasia.
Paulo Filandro:  A entidade mostrou o enredo em suas fantasias de forma adequada com diversidade de cores, criatividade, causando um belo impacto visual.


UNIDOS DO CAPÃO (10 / 10) 
Heloísa Romero: A escola atingiu os objetivos propostos pelo quesito.
Paulo Filandro: Em todas as alas da escola foi possível fazer a leitura do enredo, ficando caracterizado os aspectos de concepção e adequação. O carnavalesco trabalhou em todos os setores com criatividade e diversidade de cores.


ACADÊMICOS DA ORGIA (9.4/ 9.6)
Heloísa Romero: Fantasias não transmitiram as diversas partes do enredo; ausência de alas para compor a leitura do enredo. Fantasias mal confeccionadas, sem efeito e tonalidade.
Paulo Filandro: A entidade dentro de suas limitações, apresentou fantasias simples mas que contemplavam o enredo. No aspecto de criatividade, observei limitações  Foi constatada falta de ala ou inversão no organograma prejudicando a leitura completa do enredo.


APITO DE OURO (10 / 9.9)
Heloísa Romero: Atingiu os objetivos propostos pelo quesito.
Paulo Filandro: A entidade apresentou figurinos adequados ao enredo, com bom acabamento, porém falta de ala ou inversão  no organograma. 


UNIÃO DA TINGA (9.5 / 9)
Heloísa Romero: Fantasias sem efeito e tonalidade. Pouca criatividade e exploração de materiais e cores.
Paulo Filandro:  Grande parte dos figurinos apresentados não tinham um referencial ao tema, dificultando uma leitura completa do enredo, ficando comprometido os aspectos de concepção e adequação. Mesmo considerando as limitações da entidade (a criatividade ficou nula nas fantasias) digo; A ausência de criatividade comprometeu toda a proposta do enredo. 


COPACABANA (9 / 9.2)

Heloísa Romero: Ausência de alas para compor a leitura do enredo. Na ala “Domingo tem fórmula 1” sapatos de cores e formas variadas. Ala de Baianas com variedade de sapatos e trunfas de material
diferentes. Fantasias sem efeito e tonalidade. Predominância do branco em todas as alas, sem exploração das cores.
Paulo Filandro:Apesar de ser observado os esforços do carnavalesco em adequar as fantasias ao enredo.   Os figurinos apresentaram pouca expressividade ficando os aspectos de concepção comprometidos.    Na ala 4; Domingo tem fórmula 1 os componentes usavam tênis, sapato e sapatilhas.  Foi verificado a ausência ou inversão no organograma da Ala 6; Jogo de Capoeira.            


OS FILHOS DA CANDINHA (9.2 / 9)
Heloísa Romero: Na primeira ala vários componentes com camisetas diversas, fantasias despencando. Pouca exploração de cores, sem efeito, concepção e tonalidade. Na última ala componentes sem chapéus, sapatos diversos, faltando partes da fantasia. Ausência de alas prejudicando a leitura do enredo.
Paulo Filandro:  A entidade por meio de suas fantasias apresentou um desfile confuso, onde a identificação com o enredo ficou totalmente perdido. Praticamente a figura de Maria Mulambo não aparece nas alas.  Na Ala Os Nobres da Corte, Componentes utilizaram camisetas em diversas cores, lilás, listrado, branco, até camisas do S.C. Internacional. Ala que vinha na frente do último carro apresentou componentes de

sandália, chinelo de dedo, sandália e sapatilha.

Nenhum comentário: