terça-feira, 20 de março de 2012

Justificativas de SAMBA - Grupo de Acesso

UNIDOS DO GUAJUVIRAS (9.3 / 10)
Adair Antunes: Como os sambas-enredo do RS são em andamento rápido, tornase temeroso aglutinar palavras em demasia em uma estrofe. A letra é criativa, a melodia contagia, mas fica difícil acompanhar os cantores no mesmo tempo.  É samba-enredo com cara de samba-enredo, mas os componentes só cantaram os refrões. Na frase “ A VIDA É UM TAB DE XADREZ” há uma quebra de seqüência rítmica.
Luiz Carlos Oliveira:   Compositores sabendo trazer para o samba todo o conteúdo do enredo de uma maneira sintética, mas muito clara. 



UNIDOS DO CAPÃO (9.9 / 9.6) 
Adair Antunes: O samba todo para cima, métrica perfeita, letra e música com sintonia perfeita. Os autores cometeram um pequeno deslize quando “SALVE O VERDE, TERRA, CÉU E MAR” “É A AMAZÔNIA PULMÃO DESTE PLANETA” Quando se sabe que na Amazônia não tem mar. Mas isso é apenas um detalhe. É samba-enredo do bom.
Luiz Carlos Oliveira:  Somente um senão na bela composição. Consta no enredo e na defesa do enredo o grande problema que assola a Amazônia a devastação e no samba isso não é mencionado, deveria.


ACADÊMICOS DA ORGIA (10 / 10)
Adair Antunes: Os compositores foram felizes na construção poética dentro da métrica e encaixando  perfeitamente na música.
Luiz Carlos Oliveira:  Samba em conformidade com o tema. Ágil e vibrante.


APITO DE OURO (9.5 / 9.8)
Adair Antunes: O samba é linear, onde letra e música formam um conjunto interessante, mas um pouco monótono. Talvez a levada a menos de140 tenha contribuído para tal. Trata-se de um bom samba. Não empolga, mas é bom.
Luiz Carlos Oliveira:  Samba riquíssimo em melodia linda variações, modulações agradáveis com forte incentivo do canto. Podia explorar a avenida e os componentes da escola se aumentasse o andamento. Uma sugestão: Trocar educação por cultura; alemão por germânico para não finalizar 4 versos consecutivos com a sílaba AO que enfeiam a fonética do cantar.


UNIÃO DA TINGA (9.9/ 10)
Adair Antunes: A boa construção da linha melódica, fez com que letra e música tenham um entendimento bom.    E o samba todo para cima, tendo todos os finais de frases jogando o samba cima, empolgando os  componentes e público.
Luiz Carlos Oliveira:  Alguns versos com melodia colocada numa região grave que dificulta o canto para muitos, até para o puxador. Construção de letra e música de muito bom gosto.


COPACABANA (9.1/ 10)
Adair Antunes: Samba exaltando os 50 anos da COPACABANA. Samba com letra simples, música pouco criativa, a união letra/música é interessante, mas foi comprometida na desunião harmonia/bateria. Num todo,  poderia ser melhor trabalhado.  Um refrão excelente “COPACABANA A BONJA TE AMA”
Luiz Carlos Oliveira:  O retrato de um bom domingo em nossa cidade cantado com empolgação em música sobre a bela letra.


OS FILHOS DA CANDINHA (9/ 10)
Adair Antunes: O samba ficou todo comprometido com inconseqüência rítmica. Como trata-se de uma lenda, a letra cola com quase todo o tema dificultando a sua interpretação.
Luiz Carlos Oliveira:  Uma lenda que muitos gostariam de conhecer pois desperta a curiosidade dos freqüentadores de terreiras, e os componentes fizeram a transposição, embora triste a história, de uma forma linda.

Um comentário:

estevao disse...

Meu nome é Estevão Fontoura Ribeiro, autor da letra do samba da Candinha. Desejo sabre o que significa: "Como trata-se de uma lenda, a letra cola com quase todo o tema dificultando a sua interpretação."