quarta-feira, 17 de julho de 2013

Morre Lelé, primeiro Rei Momo negro da Capital

Lelé em seu apartamento em 2011 - Foto: Daniela Amaral

No fim da tarde desta quarta-feira, dia 17, Porto Alegre se despedirá de um dos personagens mais históricos do nosso Carnaval. Morreu aos 88 anos Adão Alves de Oliveira, o Lelé, primeiro rei momo negro da cidade. O sepultamento será realizado no cemitério Jardim da Paz.

Ele estava internado havia uma semana no Hospital Vila Nova e não resistiu a uma falência múltipla do órgãos.

Seu Lelé conheceu o Carnaval de Porto Alegre ainda menino. Aos seis anos, em 1931, assistiu seu primeiro concurso de blocos, com participação de alguns como o Passa Fome, os Tesouras, Tigre, Chora na Esquina... Na década de 40, foi passista e sambou muito no Areal da Baronesa, região onde surgiram os primeiros coretos populares.

Lelé com o rei momo Fábio Verçoza - Foto: André Gomes

Mas foi no fim da década de 40 que seu nome entrou definitivamente para a história. Em uma monótona tarde de fevereiro, revelou a amigos seu desejo de criar um personagem simpático e que conquistasse a todos, especialmente os comerciantes. Uma fantasia e uma coroa foram preparadas e o grupo saiu pelas ruas. Lelé se tornava o Rei Momo do Carnaval do Areal, um dos mais fortes da cidade na época. Não demorou para ser coroado Rei Momo Negro de Porto Alegre, tendo reinado entre 1949 e 1952.

Além de carnavalesco apaixonado e apaixonante, Lelé foi ainda jogador de futebol no Nacional e no Força e Luz, trabalhou em diferentes bancos e também na antiga Livraria do Globo.

Um comentário:

Armazém do seu Brasil disse...

O fotógrafo André Gomes foi muito feliz no clic da máquina. Registrou momento sublime: o sorriso simpático e discreto do Rei Lelé e o carinho e o afeto do Fábio Verçoza. Se é coisa que Porto Alegre poderia exportar é o alto astral de todos os Reis Momos que passaram pelo Carnaval da Cidade. Miudinho, Frotinha, King,Giró e tantos outros. Edinho Silva