segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Imperatriz Leopoldense abre a Muamba de 2014


* Por Rosângela Santos

Com a missão de esquentar o Porto Seco, a Imperatriz Leopoldense veio para realmente tirar proveito do ensaio técnico e ajustar detalhes que podem ser decisivos no seu desfile de retorno ao Grupo Especial.

Apesar de a vermelho e branco estar pouco numerosa, já na concentração os leões da Feitoria se preparavam com seriedade e organização para cruzarem a avenida cantando os mistérios e encantos da China. Ao soar do apito, uma explosão de alegria que nem a pista molhada foi capaz de aguar.

- Apesar da chuva, o chão não atrapalhou. Conseguimos fazer o proposto. Marcamos bem a coreografia e as cabines de jurados – avaliou a primeira porta-bandeira da Imperatriz, Paula Verônica.

Paula e Caio - Foto: Divulgação Vila Isabel


Encaixados em uma harmonia redondinha, bateria e carro de som foram um dos destaques da apresentação. Mas tanto o intérprete Marcynho Ferraz quanto o diretor de Carnaval, Gustavo Barros, cobraram mais canto e resposta da escola para o grande dia.

- Tecnicamente, conseguimos fazer um bom trabalho. Mas faltou mais garra da escola – disse Marcynho.

Já o mestre Luciano apontou a dificuldade de ouvir o som muito baixo à frente do carro e, por isso, aproveitou para trabalhar levada de caixa e afinação com os cerca de 100 componentes regidos por ele.

A Leopoldense cruzou a avenida em 45 minutos.


Nenhum comentário: