segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Técnica no ensaio técnico da Gravataí






* Por Gisele Mendonça
Com alas bem definidas e formação compacta, Acadêmicos de Gravataí fez um ensaio técnico no sentido literal.

Ao cantar seu tema sobre Parintins, a Onça Negra aproveitou de fato - como sempre faz - para ajustar sua evolução perfeita e sua harmonia.


Uma das preocupações da escola vem de um dos quesitos mais determinantes, o de mestre-sala e porta-bandeira. Andreísa, que empunha o pavilhão ao lado de Choco, pensa na distribuição do júri.

- Foi tranquila a Muamba. Deu certo. A única parte um pouco tensa é a do segundo para o terceiro módulo, que são muito próximos - declarou (nesta segunda-feira, aliás, uma reunião debaterá este tema no Porto Seco às 19h30min).


Com o samba afiado, com bateria e carro de som afinados, a escola colocou o Porto Seco para cantar. Em diversas paradas, tiveram a resposta de componentes e público, que recebeu a letra da agremiação. Até quem não sabia cantar se deixou envolver pela cadência da bateria e brilhantismo da harmonia e aprendeu.

Tradicional também com suas alas coreografas, a Gravataí mereceu destaque em duas delas, equipadas com acessórios que chamavam a atenção ao longo da pista.

E, mesmo fazendo um desfile técnico, a Onça Negra contagiou e explodiu em entusiasmo, pronta para voltar na Noite das Campeãs.



Nenhum comentário: