segunda-feira, 3 de março de 2014

Um desfile memorável de Acadêmicos de Gravataí

Com um dos maiores sambas de 2014, a Acadêmicos de Gravataí protagonizou um dos maiores espetáculos que o Porto Seco viu passar neste Carnaval. Grandiosa, a Onça Negra brindou o público com muita criatividade, alegria, beleza e originalidade.

Fantasias e alegorias impressionaram pela qualidade e exuberância do conjunto. Todos os carros – e a escola foi uma das únicas a apresentar cinco – tinham movimentos. O que é justamente uma forte característica das alegorias do Festival de Parintins, homenageado pelo enredo da escola.





Durante o percurso, não havia um componente que não estive cantando o samba, conduzido com maestria pela harmonia de Rudi e do intérprete Lú Astral, casada com perfeição com a bateria competente do Mestre Eliézer.

Muito assediada envolvida por elogios, a presidente Rita Virginia não poderia ter saído da avenida mais orgulhosa:

– Isso é a força do nosso Carnaval. Isso é a comunidade de Gravataí. Acho que nós todos devemos nos unir por um Carnaval melhor – disse a presidenta.

Emocionante também foi a graciosidade e segurança do casal de mestre-sala e porta-bandeira Choco e Andreisa, em sua estreia na agremiação.



Apesar de muito organizada, a escola evoluiu com um pouco de lentidão em alguns momentos, talvez em função de o primeiro setor ser todo coreografado, com a comissão de frente, o casal, uma enorme e sincronizada ala de passo marcado e a porta-estandarte Zainara Allem.

 
 

Nenhum comentário: